Imprimir esta página
27 Setembro

Unimed Cuiabá coloca em risco atendimento à usuários

Operadora envia demonstrativos de pagamentos à empresas prestadoras de serviço com intenção de pagar até 60% menos pelos serviços prestados

O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat), protocolou na última quinta-feira (23.09), ofício no Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) e enviou a Agência Nacional de Saúde (ANS) a denúncia de condutas abusivas praticadas pela Unimed Cuiabá Cooperativa de Trabalho Médico, a Unimed Cuiabá. No documento, o sindicato informa que a Operadora enviou demonstrativo de pagamento aos prestadores de serviço com redução que varia de 30% a 60% dos serviços prestados pelas empresas no último mês.

O Sindessmat, sindicato que representa empresas e estabelecimentos particulares de saúde do estado, informa que foi alertado por prestadores de serviços da operadora de diversas áreas, como hospitais, laboratórios, clínicas médicas e de imagens sobre o não pagamento do valor total dos serviços prestados. De acordo com o Sindessmat, o não cumprimento das obrigações financeiras por parte da Unimed Cuiabá frente à rede credenciada coloca em risco à assistência aos beneficiários desta operadora, que representa mais de 63% de toda a rede de saúde suplementar da capital.

No ofício, o Sindessmat destaca que a Unimed Cuiabá, principal operadora do Estado e com irrefutável domínio de mercado, utiliza de manobras que acendem um alerta vermelho sobre a capacidade de honrar seus compromissos financeiros, sem atingir toda uma rede de assistência e os mais de 240 mil beneficiários que dependem do plano de saúde. Além de causar insegurança jurídica em todo o mercado de saúde privada da capital.

A denúncia do Sindessmat aumenta o número recente de polêmicas envolvendo a Unimed Cuiabá. Como o descredenciamento de empresas com notória credibilidade no segmento, cobrança de coparticipação em valores estratosféricos e sem a devida comprovação de pacientes dependentes de terapias contínuas, como crianças autistas.

E ainda, a adoção da prática do teto financeiro (já denunciada a ANS), que causa sérios prejuízos aos prestadores que deixaram de receber pelos serviços prestados em meio à pandemia, por uma ação unilateral da Unimed Cuiabá, e sob ameaça de descredenciamento aos que não aderirem ao teto o que motivou a abertura de Inquérito Civil e posteriormente à propositura pelo MP de uma ação civil Pública contra a Unimed Cuiabá.

O que diz a Unimed Cuiabá

A Unimed Cuiabá, em respostas à denúncia protocolada pelo Sindessmat no MPE, enviou nesta sexta-feira (24.09), comunicado aos seus cooperados, mas em momento algum mencionou o principal assunto da denúncia, o não pagamento integral dos serviços prestados pelos estabelecimentos de saúde.

 

 
Ler 110 vezes
Avalie este item
(0 votos)