20 Julho

Estudo liga consumo de álcool a 740 mil casos anuais de câncer

Essa é a conclusão de um estudo publicado na revista científica The Lancet Oncology que destaca a ligação direta entre o consumo de bebidas alcoólicas e os cânceres de mama, de boca, de garganta, de laringe, de esôfago, de fígado, de cólon e de reto.

Ainda que a maior parte dos casos esteja associada ao consumo excessivo de álcool, a ingestão moderada de bebidas alcoólicas também aumenta o risco de desenvolver a doença, alerta a pesquisa, realizada por cientistas do Canadá, da França, dos Estados Unidos, da Holanda e da Nigéria.

Conforme as estimativas, o consumo diário de um pequeno copo de cerveja ou um pequeno copo de vinho — o equivalente a até 10 gramas de álcool — contribuiu para algo entre 35,4 mil e 145,8 mil casos de câncer no ano passado.

A incidência varia de acordo com a região — as mais afetadas são a Europa, mais especificamente a do leste e central, e o sudeste da Ásia. A distribuição por gênero é bastante desigual. Do total, 77% dos casos foram registrados em homens e 23% entre mulheres.

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

Apoiadores de Bolsonaro

Bolsonaro internado: quadro evoluiu e necessidade de cirurgia está afastada, diz presidente ao lado de seu médico

'Testei positivo 43 vezes': o caso de covid-19 mais longo do mundo

Fim do Talvez também te interesse

Taça de vinho em primeiro plano e mulher desfocada atrás

Consumo de álcool aumenta risco de câncer mesmo em moderação, aponta estudo

Segundo a pesquisadora Harriet Rumgay, da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc, na sigla em inglês), uma das autoras do estudo, os resultados apontam a necessidade de se mostrar de forma clara à população a relação estreita entre o consumo de álcool e o câncer.

"Estratégias de saúde pública, como reduzir a disponibilidade de álcool no varejo, expor no rótulo das bebidas alcoólicas advertências sobre os riscos e restrições de publicidade podem reduzir a taxa de casos de câncer causados ​​pelo álcool", assinala.

Para estabelecer a porcentagem de casos de câncer relacionados ao consumo de álcool, os pesquisadores utilizaram dados sobre os níveis de ingestão de bebidas alcoólicas por pessoa por país em 2010.

Em seguida, combinaram essas informações com uma estimativa de novos casos de câncer em 2020, levando em conta o tempo que o consumo de álcool leva para ter impacto sobre a saúde.

O estudo indica o número de casos, mas não de mortes.

 

"Seria muito interessante estimar as mortes por câncer causadas pelo álcool, o que é um passo depois da análise que fizemos", diz Rumgay.

Álcool pode causar dano celular

O vínculo entre álcool e câncer

De acordo com a ONG Cancer Research UK, sediada no Reino Unido, há sete tipos de câncer cujo risco aumenta com o consumo de álcool.

São eles o de mama e o colorretal — os dois dos mais comuns —, e os de boca, garganta, laringe, esôfago e fígado.

O álcool causa danos ao corpo especialmente de três maneiras. Uma delas é provocando dano celular: quando ingerimos álcool, o corpo o transforma em acetaldeído, uma substância química que pode causar danos às células e até impedir que elas reparem os prejuízos causados.

Outra forma são as alterações hormonais, já que o álcool aumenta os níveis de alguns hormônios, como estrogênio e insulina. Esses níveis mais altos podem fazer com que as células se dividam com mais frequência, o que aumenta a chance de desenvolvimento de células cancerosas.

E há, finalmente, a possibilidade de ocorrência de alterações nas células da boca e da garganta. O álcool pode tornar essas células mais propensas a absorver produtos químicos perigosos, como os encontrados na fumaça do cigarro.:

 

Fonte: BBC

 
Ler 28 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Facebook

Parceiros

 
   

Contato

Sindessmat - Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso

Rua Barão de Melgaço, n° 2754

Edifício Work Tower - Sala 1301

Cuiabá - MT

Telefone: (65) 3623-0177
(Administrativo/Financeiro)

Email: diretoria@sindessmat.com.br

Sobre nós

O SINDESSMAT – Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso – conforme seu Estatuto, é constituído para fins de estudo, coordenação, proteção e representação legal da categoria dos estabelecimentos de serviços de saúde, dentro do estado de Mato Grosso.