09 Junho

Maio registra aumento de 70% nos óbitos por Covid

Com o terceiro pior número de mortes desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil, o mês de maio mostrou que os números da doença ainda estão longe de estarem controlados. Se comparados com a média de óbitos causados pelo novo coronavírus desde a chegada da doença no País, o mês que se encerrou registrou aumento de 70% no número de mortes, atingindo a marca de 49.282 mortes, frente a uma média de 28.787.

Os números de maio só são melhores quando comparados com os de março e abril desde ano, respectivamente o primeiro e segundo piores meses da pandemia no Brasil, auge da segunda onda da doença que lotou UTIs de hospitais em todo o território nacional. Na comparação com março, maio aponta queda de 34,1% no número de óbitos, enquanto na comparação com abril a queda foi de 31,2%. Em números absolutos, maio registrou 49.288 óbitos causados pelo novo coronavírus, março 74.773, e abril 71.665.

Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil, base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), e podem ainda sofrer mudanças, uma vez que o prazo legal para envio de óbitos à plataforma nacional pode chegar a até 12 dias do falecimento.

“O acompanhamento mensal dos dados de óbitos no Portal da Transparência dos Cartórios de Registro Civil permite um retrato real e fiel da realidade que vivemos”, explica o presidente da associação, Gustavo Renato Fiscarelli. “Depois da violenta segunda onda da pandemia, começamos a ver o resultado efetivo do aumento da vacinação que, mesmo a passos lentos, já traz reflexo para a população mais velha e deve ser incrementada para também proteger os mais novos e assim reduzirmos o número ainda alto de mortes pela doença”, destaca.

Maio/20 x Maio/21

Um ano depois, maio de 2021 registrou um aumento de 71,9% dos óbitos no Brasil em comparação com o mesmo mês de 2020. Em números absolutos foram 49.282 mortes no mês passado frente a 28.667 em maio do ano passado. Na mesma comparação, 18 Estados apresentam números maiores este ano, enquanto nove apresentam redução quando comparados ao mesmo período do ano passado.

Estados onde a pandemia demorou mais a chegar são aqueles que apresentam o maior crescimento, como nos casos do Mato Grosso do Sul, aumento de 4.526% (19 x 879), Mato Grosso, aumento de 2.472% (25 x 643) e Minas Gerais, crescimento de 1.014% (481 x 5.361). Os Estados da região Sul também viram os números dispararem, com aumento de 947% no Paraná (406 x 4.253), de 945% em Santa Catarina (137 x 1433), e de 932% no Rio Grande do Sul (271 x 2797). São Paulo, estado mais populoso do País, teve aumento de 114,8% (6.615 x 14.212), e o Distrito Federal de 293% (187 x 735).

Entre os Estados que registraram diminuição, a maior parte se encontra na região Norte, a primeira do País a sofrer com a primeira onda. No Amazonas, a queda foi de 81,7% (933 x 170), no Amapá de 79,6% (319 x 65), e no Pará de 78,1% (2.176 x 475). Quem também registrou queda em maio deste ano na comparação com o mesmo mês de 2020 foi o Rio de Janeiro, 17,9% (6.779 x 5.562), e o Ceará, 49,8% (3.858 x 1.936).

 

Fonte:  Medicina S/A

 
Ler 14 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Facebook

Parceiros

 
   

Contato

Sindessmat - Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso

Rua Barão de Melgaço, n° 2754

Edifício Work Tower - Sala 1301

Cuiabá - MT

Telefone: (65) 3623-0177
(Administrativo/Financeiro)

Email: diretoria@sindessmat.com.br

Sobre nós

O SINDESSMAT – Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso – conforme seu Estatuto, é constituído para fins de estudo, coordenação, proteção e representação legal da categoria dos estabelecimentos de serviços de saúde, dentro do estado de Mato Grosso.