11 Janeiro

Após desistir de compra direta da vacina, Emanuel diz que o que mudou foi sua 'responsabilidade'

Logo depois de vencer a reeleição, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que estava iniciando as tratativas para comprar diretamente, sem o intermédio do Ministério da Saúde, as vacinas contra o novo coronavírus (Covid-19) para imunizar a população cuiabana. Após a posse, no entanto, o prefeito voltou atrás e afirmou que a Prefeitura não tinha estrutura para bancar o imunizante. Segundo ele, o que mudou foi a “responsabilidade”.

 “A responsabilidade, a estrutura de uma vacinação em massa... Não vejo como fazer isso, sem estar de mãos dadas com o Governo Federal. Não adiantava adquirir 50 mil, 100 mil doses. Não teríamos a estrutura necessária para imunizar a população. Vamos seguir a responsabilidade tecno-científica que só o Ministério da Saúde pode nos fornecer”, disse o prefeito.

Em 11 de dezembro, Emanuel havia afirmado que entrara em contato com a equipe do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), para iniciar as tratativas de uma possível aquisição da vacina CoronaVac para a capital mato-grossense. A tratativa aconteceu no mesmo dia em que o governador Mauro Mendes (DEM) visitou o Instituto Butantan, em São Paulo, e assinou um termo de intenção de comprar 500 mil doses da vacina.

Agora, o prefeito afirma que sua opção foi pela “segurança e responsabilidade”. “A campanha de vacinação é muito complexa, já que não é uma única dose. Por segurança e responsabilidade com a vida das pessoas, decidimos acompanhar o Governo Federal, via Ministério da Saúde”, disse.

Em relação às seringas e agulhas, Pinheiro diz que ‘confia’ que não faltará. “Em Cuiabá nós estamos em contato direto e confiando nas ações do governo federal. Não acredito que tenha uma unidade federativa com estoque de seringa para uma pandemia. Estamos acompanhando as orientações do Ministério da Saúde e o que couber à Capital, a prefeitura está estruturada para defender a população”.

O prefito ainda afirmou que, apesar do crescimento no número de casos e mortes em todo o Brasil, Cuiabá ainda reage positivamente. No entanto, sua intenção é de evitar um cenário trágico, embora negue qualquer nova possibilidade de lockdown.

 

Fonte: Olhar Direto

 
Ler 15 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Facebook

Parceiros

 

Contato

Sindessmat - Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso

Rua Barão de Melgaço, n° 2754

Edifício Work Tower - Sala 1301

Cuiabá - MT

Telefone: (65) 3623-0177
(Administrativo/Financeiro)

Email: diretoria@sindessmat.com.br

Sobre nós

O SINDESSMAT – Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso – conforme seu Estatuto, é constituído para fins de estudo, coordenação, proteção e representação legal da categoria dos estabelecimentos de serviços de saúde, dentro do estado de Mato Grosso.