15 Maio

Conheça os riscos do uso de anabolizantes; prática é cada vez mais comum

Dando continuidade ao tema sobre hormônios para estética corporal, nessa reportagem abordaremos os maiores riscos do uso de esteroides anabolizantes, usualmente utilizadas para emagrecimento e ganhos expressivos de músculos, para se obter o tão sonhado corpo "sarado". Essa prática vem tomando conta dos consultórios médicos e das academias.

Vejo um aumento absurdo de pacientes usando anabolizantes, tanto prescrito por médicos, como conseguidos no "mercado negro".

 

Esta droga promete corpos perfeitos como em um passe de mágica, contudo os pacientes não compreendem os riscos causados por essas drogas mesmo quando usados a curto prazo, principalmente quando usadas sem nenhuma indicação clínica.

 

Não sei se vocês sabem, mas é considerado crime pelo Conselho Federal de Medicina, usar tais drogas para fins estéticos, com direito a cassação do CRM do médico que o fizer, lógico que, mediante denuncias e comprovações.

 

Os esteroides anabolizantes fazem estímulos exagerados em determinados receptores celulares, levando a diversos efeitos colaterais e vários desastrosos. A começar pela diminuição na produção dos hormônios liberadas pelas nossas glândulas, afinal o corpo acredita que não precisa mais produzir, pois está tendo um estímulo exacerbado de um hormônio via endógena (hormônios sintéticos), onde muitas vezes não retornam aos níveis anteriores após o uso.

 

Em homens, os riscos mais comuns e menos graves são: impotência e esterilidade sexual, aumento significativo da pressão arterial, queda importante de cabelos, retenção de sódio, hepatite, transtornos depressivos, vigorexia, agressividade,  transtornos de ansiedade.

 

Em mulheres, os riscos mais comuns e menos graves são: a androgenização (masculinização) com crescimento de pelos no rosto, aumento da oleosidade em pele, cabelos, com surgimento de espinhas de difícil controle, a voz que engrossa e muitas vezes NÃO reverte, redução de mamas, interrupção de menstruação, hipertrofia de clitóris (que também, muitas vezes não volta ao normal). Os riscos de aumento da pressão arterial, retenção de sódio, riscos de diabetes, transtornos psiquiátricos também são bem frequentes.

 

Nos adolescentes as consequências são ainda mais devastadoras, pois comprometem o crescimento por comprometimento ósseo, o desenvolvimento sexual.

 

Outros riscos comuns são:

 

- redução do colesterol bom HDL, aquele que protege seu coração de cardiopatias;

- aumento do colesterol ruim LDL;

- alteração no funcionamento do fígado;

- inflamação de articulações, tendões: tendinites, bursites

- Distúrbios da coagulação sanguínea, principalmente das plaquetas, podendo provocar trombose venosa profunda, tromboembolismo pulmonar e infarto do miocárdio.

 

Como consequências graves:

 

- Infarto Agudo do Miocárdio, sendo mais frequente do que todos podem imaginar;

- Embolia pulmonar;

- Trombose venosa profundas (nas pernas, braços)

- AVC (derrame cerebral)

- Hipertensão Arterial, Diabetes

- Câncer hepático (fígado)

 

A motivação, muitas vezes de profissionais da saúde ao prescreverem ou sugerirem este tipo de tratamento apenas para fins estéticos é o de lotar de consultas suas clínicas ou academias, como se fossem detentores do tratamento mais revolucionário e único de sua cidade, garantindo resultados rápidos, contudo deixando de lado o juramento que fizeram quando receberam seu diploma, onde afirmaram que dedicariam seus conhecimentos em prol da manutenção da saúde e bem estar do paciente, e não os colocando em risco por imperícia e conduta imprópria.

 

O preço que se paga pelos danos muitas vezes irreversíveis, são altíssimos. Hoje, infelizmente ver uma pessoa "sarada", com corpo escultural, não é mais sinônimo de saúde, onde muitos são belíssimos por fora, porém, por dentro, sua saúde corre enormes riscos.

 

Esses hormônios podem ser usados clinicamente, sendo prescritos por médicos para a reposição de um hormônio deficiente em alguns casos, e em geral, nesses casos, a orientação médica é a de uso em doses suficientes apenas para a regulação de uma disfunção específica, ou tratamento de outras.

 

Reflitam:  Será que sua saúde e a sua vida, valem o uso desse tipo de medicamento?

Fonte: Olhar Direto

Ler 20 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Facebook

VII CONGRESSO BRASILEIRO FENAESS. Cuiabá - MT - 20 e 21 de Setembro de 2018

INSCRIÇÕES
Toggle Bar

Parceiros

Contato

Sindessmat - Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso

Rua Barão de Melgaço, n° 2754

Edifício Work Tower - Sala 1301

Cuiabá - MT

Telefone: (65) 3623-0177

Email: diretoria@sindessmat.com.br

Sobre nós

O SINDESSMAT – Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso – conforme seu Estatuto, é constituído para fins de estudo, coordenação, proteção e representação legal da categoria dos estabelecimentos de serviços de saúde, dentro do estado de Mato Grosso.